11/06/2011

As 8 Casas mais Assustadoras dos filmes de horror

||


Filmes de casas mal-assombradas são um clichê no cinema de horror. Não apenas casas, mas todo o tipo de moradia possível já ganhou alguma assombração para contar sua história.
Nem sempre casas precisam ser o motivo da assombração para desempenharem um papel importante em um filme de terror, elas podem ser um personagem oculto, oprimindo os personagens ou mesmo criando uma ilusão de serenidade e aconchego que abriga um pesadelo dentro de sí.




8 . “A Casa da Família Sawyer” de O Massacre da Serra Elétrica (1974)

O clássico de Tobe Hooper não trata de uma casa mal-assombrada, muito menos de fantasmas e espectros de outro mundo mas sim de seres humanos insanos, canibais e deformados que caçam outras pessoas para saciar sua sede de carne humana. O filme que praticamente criou um gênero “slasher Redneck” não apenas vê em seus brutais personagens os únicos vilões mas convida o espectador a entrar em seus domínios, uma casa decorada com ossos humanos, com crânios em cima de movéis (baseada em uma verdadeira casa dos horrores, o lar de Ed Gein), um verdadeiro açougue humano em suas entranhas.O efeito é tão impressionante que é possível até imaginar o cheiro da casa, restos de pessoas apodrecidas e um maníaco doentio como anfitrião. E o pessoal nas filmagens pôde REALMENTE sentir esse horror enquanto o filme era rodado, já que a casa estava isolada para que as cenas que acontecem a noite no filme pudessem ser gravadas, o Texas vivia o seu famoso verão escaldante e a equipe teve de passar por 32 dias em um forno humano, sem poder ligar ventiladores e nem mesmo que a casa fosse aberta para ser ventilada!
Isso para não falar do cheiro da carne podre e de esqueletos de plástico queimando, na clássica cena do jantar …



7 . “Black Wood Castle” de Castle of Blood (1964)

Você deve saber que uma das regras que os filmes de terror nos ensinaram é que não se deve aceitar passar a noite em um lugar longe da civilazação, habitado por alguém misterioso e aparentemente simpático que oferece gratuitamente a sua morada. As coisas pioram quando você é um reporter cético e é convidado por um misterioso Lord Blackwood para provar que o sobrenatural existe, em seu enorme castelo gótico e cercado de densas sombras, cheio de espíritos que precisam se alimentar de sangue humano … no dia do halloween!

E é isso que acontece neste bom filme italiano de Antonio Margheriti, colocando a figura do imponente (e belo) castelo como lar de almas penadas sedentas por vingança misturado à hipnótica e misteriosa trilha sonora de Riz Ortolani.



6 . “A casa de Belasco” em Legend Of The Hell House (1973)

Esta casa, designada pelo adorável Emeric Belasco (um pervertido com fantasias sexuais mortais) em 1919, vai além das demais da lista porque foi construída com o intuíto de ser mal-assombrada. Como ? um santuário com corpos enterrados foi construído dentro dela com a idéia de criar um campo de forças sobrenaturais possibilitando todo tipo de fenômeno como mesas se mexendo sozinhas e locais que pegam fogo sem motivo.

E para piorar tudo, temos um pequeno gato preto que dá as boas vindas aos visitantes com o simpático hábito de mutilar pessoas com suas garras.
Este filme britânico dirigido por John Hough baseado em um livro de Richard Matheson trata sobre repressão sexual, parafilias bizarras e fantasmas assassinos.


5 . “Seven Doors Hotel” de The Beyond (1981)

Neste clássico “blood feast” de Lucio Fulci, o hotel supracitado, situado na Lousiana, é o local onde o espancamento, crucificação e corrosão de um artista local acusado de bruxaria abre uma das sete portas da morte que permite o trânsito de mortos entre o nosso mundo e o inferno. Muitas décadas depois, uma mulher decide reabrir o hotel e faz uma reforma geral, causando a reabertura da porta infernal e tendo de enfrentar desde zumbis até aranhas demoníacas comedoras de faces.A história conta que o hotel foi construído exatamente em cima de uma das portas e o sangue e sofrimento do artista morto foram suficientes para permitir a abertura da mesma, neste filmaço de Fulci, considerado por muitos como um dos melhores filmes de horror italianos.



4 . “The Bly House” de The Innocents (1961)

Na obra prima do terror psicológico dirigida por Jack Clayton, com a participação de Truman Capote como roteirista, temos a Bly House, uma lindíssima mansão britânica, com direito a enormes cômodos e até mesmo um lago particular.

Diferente do castelo Blackwood e da Casa de Belasco, esta mansão não oferece uma imagem tétrica e horripilante … até que a noite caia e o escuro tome conta, é claro.No filme, a casa tem um papel decisivo, em especial pelos seus diversos locais “secretos”, suas instalações diversas e o lago particular também ganha seus momentos, como aparições de fantasmas ao seu redor. Mas certamente o ponto alto são as imagens de tirar o fôlego da Bly House na penumbra total, provocando uma tensão no espectador pelo que espera a simpática (e perturbada) personagem de Deborah Kerr.



3 . “Dakota Building” em Rosemary’s Baby (1967)

Baseado em um livro de Ira Levin, Roman Polanski dirigiu uma das maiores obras primas do horror de forma com que o torna um dos filmes mais assustadores de todos os tempos sem a aparição de nenhum monstro ou fantasma.
O lugar que abriga a seita diabólica liderada por velhinhos simpáticos é o Dakota Building, um edifício real situado em Nova York, construído em 1880, sendo frequentado por muitas pessoas famosas como Boris Karloff e Judy Garland. Apesar de não ser exatamente ameaçador em termos de aparência, o fato de ser o lugar onde uma seita de adoradores do demônio reside já seria o suficiente para ser evitado. Para piorar, Rosemary é atormentada por estranhos barulhos e conversas que escuta através das paredes.

Ah, e para não dizer que não mencionei, John Lennon foi morto saindo deste mesmo hotel, em 1980. Brrrr.



2 . “A Mansão Vitoriana” de The Changeling (1981)

Se você procura o arquétipo de casa mal-assombrada, a mansão de “The Changeling” é sua melhor opção. Enorme, escura, velha, com um piano pronto para tocar sozinho e cômodos trancados da qual você não terá acesso são algumas das características que foram oferecidas ao personagem de George C. Scott.
Ao longo do filme, descobrimos que o fantasma de um filho deficiente e renegado assombra a velha mansão a procura de justiça contra aqueles que o abandonaram.



1 . “Overlook Hotel” de The Shining (1980)

O Verdadeiro "Overlook": Stanley Hotel
O Overlook é o lugar perfeito para que fantasmas atormentados façam suas vítimas, construído sobre um cemitério indígena, com diversos cômodos, salões de festas antigos, quartos em que não se pode entrar, corredores extensos, afastado da civilização.

Se as entidades fazem o trabalho de enlouquecer Jack, o hotel é decisivo por seu clima de opressão total, filmado de forma brilhante pelas câmeras Steadycam, acompanhando os personagens em planos fechados e sem permitir um ângulo de visão extenso ao espectador.


Até mesmo cenas antológicas como o momento em que o garçom interpela Jack no banheiro, não teriam tanto impacto se não fosse pela decoração com um vermelho forte ao fundo e cores carregadas que permeiam todo o lugar. E, se ainda não é suficiente, o hotel tem um enorme labirinto, palco da cena final de “The Shining”.




Fonte: RWND Please

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hi guys!!!!
Hey aqui é Wendy, blogueira desde 2010! Viciada em animes, amante de livros e adora ver séries! Criei esse cantinho na intenção de ajudar na criação e personalização de blogs e sites.
Wattpad Facebook Tumblr Instagram