17/08/2011

Borzoi

||
O borzoi é uma antiga raça russa, embora existam diversas teorias sobre sua origem a mais aceita diz que um duque russo, que era um grande adimirador de galgos e cães velozes, teria importado um casal de galgos da Arábia (provavelmente salukis) para a Rússia. Mas como não estavam adaptados ao rigoroso inverno russo, estes cães teriam morrido em pouco tempo, insatisfeito, o duque mandou trazer mais uma vez os galgos e realizou cruzamentos entre eles e cães pastores locais. Estes cães pastores russos seriam cães de aparência semelhante à dos collies ingleses, com pernas mais compridas e orelhas bem peludas, o resultado destes acasalamentos foi o borzoi. Outras teorias menos aceitas sugerem que o borzoi seria descendente de cães galgos da Ásia central e cães do tipo Laika, ou então que a raça teria sido formada por cruzamentos entre sloughis e cães locais de pêlo longo.


O borzoi já existe na Rússia desde o século XVI, onde era tilizado para a caça ao lobo. A matilha de caça ao logo é tradicionalmente composta por três cães, sendo uma fêmea e dois machos. Ao serem lançados na perseguição ao lobo, a fêmea, normalmente mais rápida que os machos toma a liderança e alcança o lobo primeiro. Ela então morde os calcanhares do lobo e faz com que ele diminua a sua velocidade ou caia, então os dois machos, mais fortes que a fêmea, devem subjugar o lobo. Este tipo de caça era muito apreciado desde a época do império russo e continua a ser praticado, em menor escala, até os dias de hoje. Em função da sua atividade de caçador, a cor preferida era o branco puro, pois deixava o cão camuflado com a neve. O borzoi esteve ligado a nobreza russa durante toda a sua história. Este foi o cão dos Tzares Ivan “o Terrível” e Pedro “O Grande”, do Poeta Pushkin e do escritor Turgeniev. O grão duque Nicolai possuía um canil da raça e era comum que o tzar presenteasse visitantes estrangeiros com borzois. Por estarem tão fortemente relacionados com a nobreza e a aristocracia, muitos cães desta raça foram mortos durante a revolução russa no início do século XX.

Atualmente o borzoi é considerado “O orgulho da cinofilia russa” e criado como cão de companhia e cão de luxo em todo o mundo. Nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha ficaram conhecidos como “Russian wolfhound” que significa “cão de caça ao lobo russo”, e na França e em muitos países da Europa é conhecido como “Barzoï” uma derivação do seu nome em russo “Ruskaya Psowaya Barzaya” que pode ser traduzido para algo como “ligeiro”,”fogoso”,”veloz” ou “andorinha”.

Borzois são cães elegantes e aristocráticos, muito corajosos e perseverantes. Este é um cão de um dono só, muito dedicado, sensível e afetuoso. Como todos os galgos, nunca pode ser tratado com brutalidade. Grande caçador, grande corredor e grande companheiro. É uma raça tranquila com fortes explosões de energia quando há espaço livre para correr. Late muito pouco e é indiferente a estranhos. Conviverá bem com crianças apenas se elas souberem se comportar com ele, mas esta é uma raça mais recomendada para adultos. Com outros cães em geral convive bem mas os machos podem disputar a liderança com outros machos, já com outros animais, é importante lembrar que estes são cães de caça por natureza e, embora existam casos de borzois convivendo bem com coelhos e gatos, é mais provável que tentem caçá-los. Borzois são cães muito inteligentes, mas também muito independentes e por isso mesmo pouco predispostos à obedecer (75ª colocação no ranking de inteligência canina de Stanley Coren).
Borzois são cães tranquilos, mas mesmo assim não são recomendados para a vida em apartamentos, pois é preferível que tenham espaço para se exercitar. Não gostam da solidão e preferem viver dentro de casa junto com a família. Adoram locais macios e provavelmente vão subir em almofadas e sofás sempre que possível. O pêlo longo precisa ser escovado duas a três vezes por semana para evitar a formação de nós. Cães desta raça são em geral muito saudáveis, mas alguns exemplares podem vir a ter problemas de torção gástrica, o que pode ser evitado com a escolha consciente do filhote e dos pais da ninhada e boa alimentação. Os donos devem estar cientes que todo galgo é mais sensível a anestésicos que outros cães do mesmo peso e sempre que for preciso lembrar ao veterinário desta particularidade da raça.

Fonte: Seu Cachorro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hi guys!!!!
Hey aqui é Wendy, blogueira desde 2010! Viciada em animes, amante de livros e adora ver séries! Criei esse cantinho na intenção de ajudar na criação e personalização de blogs e sites.
Wattpad Facebook Tumblr Instagram